Se você gosta de moda, 2017 é o ano de visitar o Marrocos. No segundo semestre, ainda sem data definida, acontece a abertura do novo museu dedicado ao legado do estilista Yves Saint Laurent. O espaço terá uma importante seleção de roupas, acessórios de alta-costura, croquis e objetos provenientes da Fondation Pierre Bergé – Yves Saint Laurent, localizada em Paris.

O novo espaço se chamará mYSLm e foi criado pelo escritório francês de arquitetura KO. O museu está sendo construído na rua que leva o nome do estilista, ao lado do famoso e incrível Jardin Majorelle, jardim que abriga as cinzas de Saint Laurent e ex-moradia do casal Pierre Bergé e Yves Saint Laurant, que passaram longos e psicodélicos verões no país africano nos anos 80.

Com 4 mil metros quadrados, o museu terá uma sala de exposição com algumas de das criações mais icônicas do designer, além de uma livraria, um auditório para 130 pessoas, um restaurante, um terraço e uma biblioteca. Ao todo, a instituição terá 5 mil itens de roupas, 15 mil acessórios e 5 mil livros, disponíveis para pesquisadores na biblioteca.

Com materiais como concreto e terracota, a fachada do prédio será feita com um revestimento que lembra um tecido. A fundação Pierre Bergé e Yves Saint Laurent trabalhou por mais de uma década em métodos para preservar as roupas do acervo. O sistema de ar-condicionado foi todo elaborado para controlar a umidade e a temperatura automaticamente, para que os tecidos não sejam prejudicados de forma alguma.

Saint Laurent e a inspiração marroquina

Quem conhece a história de Yves Saint Laurent sabe o quanto ele amava o Marrocos e a inspiração do país africano em seu trabalho. Nascido na Argélia, era co-proprietário, ao lado de seu companheiro Pierre Bergé do Jardin Majorelle, um dos locais mais visitados de Marrakech.

A inspiração marroquina pode ser percebida nas cores que Saint Laurent usou em coleções nos anos 70 e 80, no uso do azul Majorelle, nas referências aos mosaicos e vitrais marroquinos. Para quem se interessa por moda, é interessante fazer um cruzamento entre peças icônicas do estilista, o estilo de vida expresso no Jardin Majorelle e nas roupas e acessórios típicos do Marrocos, que podem ser encontrados nos souks, nas medinas e nas roupas que as pessoas usam na rua. Eu acho, só acho, que vale a pena vir ver tudo isso de perto!